Arquivo de Maio, 2008

Decidi escrever esta carta à EDP depois de recentemente ter ouvido numa notícia na rádio que uma qualquer Junta de Freguesia deste país tinha sido multada pela ASAE por utilizar biocombustíveis (óleo de fritar comum) em lugar do gasóleo tradicional num camião de recolha de lixo e como tal estaria a lesar o estado por este tipo de combustível não pagar impostos.

Nem sequer vou colocar adjectivos nesta atitude idiota, ridícula, prepotente, apenas possível com autoridades instruídas por um governo com as mesmas características atrás mencionadas.

Ex.mos Srs. da EDP

Venho desta forma demonstrar o meu pleno sentimento de culpa e, como tal, redimir-me de um breve momento de insanidade que, sem qualquer tipo de misericórdia, assolou a minha mente turvada pelos ideais ecológicos .

Há alguns meses atrás, no intuito de demonstrar que continuo a acreditar que este planeta tem um futuro e que os meus filhos, os meus netos e seguintes gerações de descendentes pelo menos tão inteligentes e modestos como eu, irão respirar muito mais que dióxido de carbono e metais pesados, cometi o imperdoável crime de comprar um carro híbrido. Este tipo de veículo, como é sabido tem como principal característica a capacidade de reduzir consumos de combustíveis fósseis à custa de, entre outras tecnologias, produção e uso de energia eléctrica. E aqui começaram os meus problemas.

Já há cerca de oito meses que não tenho descanso, nem mesmo a dormir, com problemas de consciência. Todas as noites acordo 3 ou 4 vezes com um pesadelo que se repete, onde a cada esquina aparece o ministro das finanças à minha frente e grita constantemente,… TRAIDOR,… TRAIDOR.

Fundamentalmente, venho pedir que terminem a minha agonia e que me digam como poderei regularizar a minha situação. Digam-me como poderei passar a pagar a energia que gasto para movimentar o meu carro e assim pagar os impostos com que o nosso querido governo tão bem gere o nosso País. Nem sequer pode servir de desculpa o facto de o próprio carro produzir a energia uma vez que também não tenho licença para isso e as inscrições para pequenos produtores é só para quem injecta electricidade na rede.

Peço pois que ponham cobro a este problema que já me tem trazido diversas angústias e que me provoca vários momentos de extremo stress, unicamente aliviado quando bato na mulher e nos filhos. Apesar de desta forma não poupar em temos económicos pois os três a quatro litros aos 100 que gasto a menos do que com o anterior veículo vão parar de novo ao Estado, pelo menos poupa-se em emissões de CO2 para a atmosfera e eu durmo muito melhor.

Grato pela atenção e tempo eventualmente gasto na resolução do problema.

Assino

Anúncios