Devoção…

Posted: 09/12/2006 in Geral

Na ausência da já há muito devida homenagem, um cidadão com alguma imaginação que passou pelo meu concelho de residência, mais exactamente em Ermesinde, decidiu fazer justiça pelas próprias mãos e “renomear” uma obra de arte da cidade.

Clica para aumentar

Diga-se que nunca fui adepto dos grafitti mesmo quando são bem feitos, mas a originalidade é um passo em frente para eu apreciar.

O facto de andarem agora por aí livros de uma qualquer versão feminina do Judas a difamar o nome do nosso Presidente (Jorge Nuno Pinto da Costa para quem ainda não percebeu) e a lançar mentiras no mercado com o intuito de vender um ranhoso livro que tem um comprador certo (Luís Filipe Vieira) e outro em potencial (José Veiga quando arranjar $$ ou alguém lhe oferecer no Natal para que possa ler num qualquer estabelecimento prisional) não faz com que desça na consideração dos muitos camaradas portistas que como eu o colocam no patamar logo abaixo da Madre Teresa de Calcutá e acima do Ghandi.

É pois a muito aguardada homenagem (ainda que a prazo), um bem haja.

Cumprimentos

Anúncios
Comentários
  1. xistosa diz:

    COISAS DE VALENTÕES REPLETOS DE CAPANGAS, porque olhos nos olhos, só bate em mulheres !!!!!

    José Saraiva, director do Jornal de Notícias. Agredido à porta de casa por dois jagunços. Nunca chegou a haver queixa judicial.
    Carlos Pinhão, jornalista de “A Bola”. Agredido barbaramente, apesar da sua idade, em Aveiro, depois de um jogo Beira-Mar-FC Porto. Processo judicial arquivado por falta de provas.
    Santos Neves, jornalista de “A Bola”. No Porto, desapertaram-lhe as jantes do carro e ia-se despistando em plena estrada. Nunca se provou quem foi o autor do crime.
    João Freitas, jornalista de “A Bola”. Agredido barbaramente junto ao Estádio das Antas. Processo judicial concluído, mas ninguém foi condenado em julgamento por falta de provas.
    Marinho Neves, jornalista da Gazeta dos Desportos e autor do livro sobre corrupção na arbitragem “Golpe de Estádio: Emboscado à porta de casa por dois jagunços. Processo judicial arquivado na PJ do Porto por falta de provas, apesar de haver cinco testemunhas que nunca foram ouvidas.
    António Paulino, jornalista do Expresso. Agredido à porta do seu jornal na redacção do Porto, segundo o próprio, por Pinto da Costa e dois jagunços. Não chegou a haver processo porque foi feita uma negociação com Pinto Balsemão. Em causa esteve um directo na SIC.
    Manuela Freitas, jornalista da Gazeta dos Desportos. Agredida com uma bofetada qaundo acompanhava o FC Porto numa viagem ao estrageiro.
    Martins Morin, jornalista de “A Bola”. Agredido no final de um jogo de futebol no qual o FC Porto era um dos intervenientes. Apresentou queixa, processo arquivado por falta de provas.
    João Martins, jornalista ligado ao automobilismo. Trabalhava na rádio do filho de Pinto da Costa e sacou a namorada ao Alexandre. Agredido à porta de casa por dois jagunços. Não houve processo judicial porque lhe pediram desculpas.
    Eugénio Queiroz, jornalista do “Record”. Agredido no Estádio do Restelo. Não houve queixa judicial. Parece que gostou.
    Paulo Martins, jornalista da RTP 1. Agredido em directo no final de um jogo nas Antas por um jagunço. Não houve queixa judicial porque a empresa o obrigou a comer e calar.
    Pedro Figueiredo, jornalista da RTP 1. Agredido no Estádio do Bessa no final de um jogo, Boavista-FC Porto. Não houve queixa judicial porque a empresa não autorizou.
    Donato Ramos, árbitro de Viseu. Agredido no restaurante em Matosinhos por quatro jagunços. Teve de fugir pelas traseiras e destruíram-lhe um carro que estava estacionado à porta. Não chegou a haver queixa judicial.
    Filomena Morais, ex-mulher de Pinto da Costa. Conforme confessou na altura publicamente, foi agredida pelo marido e pelos seus seguranças. Processo judicial arquivado devido a acordo antecipado.
    Carolina Salgado, ex-companheira de Pinto da Costa. Agredida por Pinto da Costa e dois jagunços. Queixa corre na justiça.
    Ricardo Bexiga, vereador da Câmara de Gondomar. Agredido num parque de estacionamento por dois jagunços. Queixa judicial está a correr neste momento.

  2. @xistosa
    Desses que estão aí não estou a ver ninguém que seja imparcial como jornalista e que não merecesse umas boas palmadas à maneira antiga.
    Meter o Marinho Neves aí no meio então dá uma credibilidade à lista que nem te digo.
    Mas são pontos de vista, para mim uma pessoa sobre a qual caem tantas suspeitas e não há maneira de haver provas só pode ser 2 coisas: ou inocente ou Presidente de um clube bastante odiado.
    Mas não meto as mãos no fogo por ninguém, o que não misturo é as coisas, vida pessoal e êxito desportivo vêm completamente à parte e o que me diz respeito é o êxito desportivo. Nessa tua lista só estão questões pessoais.

    Cumprimentos

  3. Idetrorce diz:

    very interesting, but I don’t agree with you
    Idetrorce

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s